Cânions do Xingó: um paraíso no sertão

Set 02

Cânions do Xingó: um paraíso no sertão


Em Sergipe está o maior cânion navegável do planeta. Ele é, ainda, o quinto maior do mundo na lista encabeçada pelo Grand Canyon, nos Estados Unidos.

Ir ao Cânion de Xingó é a maior atração turística da sergipana cidade de Canindé de São Francisco. Diariamente, cerca de 2.000 turistas vindos de diversos pontos do país realizam o passeio ao Cânion de Xingó, também conhecido como Cânion do Talhado. É um passeio de 3 horas entre ir de Canindé até o Cânion, ficar lá durante cerca de 1 hora e voltar. Durante a ida e a volta ao longo Cânion do São Francisco, a paisagem é encantadora.

O Cânion do São Francisco, com 65 quilômetros de extensão, tinha originalmente profundidade de até 170 metros e largura que variava de 50 a 300 metros. Com a construção da barragem da Usina Hidroelétrica do Xingó, na década de 80, o nível do rio elevou-se dando origem ao 5º maior cânion navegável do mundo.

O nível do rio é agora pelo menos 60 metros acima do nível do leito original e há pontos em que as águas chegam a ter 150 metros de profundidade. O Cânion do São Francisco foi incrivelmente belo antes da construção barragem e é também incrivelmente belo atualmente. O que atualmente são encostas de 30 metros de altura às margens do Rio São Francisco, anteriormente, era um incrível penhasco.

Para ir ao Cânion do Xingó, pega-se uma embarcação catamarã no município de Canindé de São Francisco, no Restaurante Karrancas. Também é possível alugar uma lancha no restaurante. O catamarã parte de 3 em 3 horas com até 120 passageiros. Não é um passeio para quem não gosta de aglutinação de pessoas. A ida de Canindé até o Cânion dura cerca de uma hora.

Dentro do catamarã, é só festa: forró, pessoas dançando e quitutes pagos à parte. Para quem quer ficar sentado, não é confortável, porque as pessoas entram e logo se sentam nos melhores assentos. A paisagem é bela. É possível ficar fotografando e admirando a paisagem ao longo de todo o caminho pelo Rio São Francisco.

Depois de uma hora de passeio pelo Rio São Francisco, a embarcação chega à Gruta do Talhado, ao Cânion de Xingó, que se forma abaixo de imensos paredões de pedra. O destino do passeio é a Gruta, que recebeu esse nome porque parece ser uma gruta cujas paredes foram talhadas à mão.

Próximo à Gruta do Talhado, o catamarã ancora em um píer numa reentrância do Cânion. É uma parada de uma hora. Esse é o momento em que o turista pode desfrutar mergulhar nas águas frias e esverdeadas do maior rio brasileiro, o Velho Chico, além de poder ver de perto os paredões de mais de 30 metros de altura do Cânion. A profundidade do rio no local é de aproximadamente 15 metros. Para quem não sabe nadar, o pessoal do catamarã fornece coletes salva vidas. Há uma área reservada de pouca profundidade, o que garante também a diversão de crianças.

O mergulho nas águas do São Francisco seria perfeito se não fosse por uma coisa. Por questões de segurança, só é possível ficar numa área delimitada, uma espécie de piscina cercada de redes. Cento e poucas pessoas numa mesma área e um monte de macarrões (bóias) coloridos.

Dá Gruta do Talhado em diante, um lugar estreito, só é possível ir de canoa. No local é possível alugar canoas que levam o visitante a uma passeio pela Gruta, num curto, mas encantador trajeto, onde se fica tão próximo dos paredões que é possível tocá-los.

Depois de cerca de uma hora no local, começa a volta, onde todos já estão descontraídos, relaxados e energizados pela Mãe Natureza. O passeio vale a pena. Relaxados, mais quietos, todos curtem a beleza da paisagem durante a volta.

O Cânion do Xingó é um dos lugares do mundo que merece ser conhecido.

Comentários

Quer conhecer a região de Xingó e se hospedar no melhor hotel?