Entre paredões e a hidrelétrica em Canindé de São Francisco

Set 03

Entre paredões e a hidrelétrica em Canindé de São Francisco


Navegação entre paredões de rochas esculpidas pela ação da natureza vai se firmando como um dos principais passeios em Sergipe

Leva-se três horas na viagem até Canindé de São Francisco. São 212 quilômetros desde Aracaju para chegar a uma das principais atrações do Estado de Sergipe, o Cânion do Xingó, onde a terra seca e a caatinga deram lugar a um grande lago formado pelas águas represadas do Rio São Francisco para a construção da Hidrelétrica do Xingó. Em lugar da natureza árida, uma atração turística criada pela intervenção humana que vai se firmando como cada vez mais procurada. 

O restaurante Karranca’s é o ponto de partida para o passeio de catamarã (R$ 90; com traslado desde Aracaju, total de R$ 170) que, cercado por verde, nem de longe lembra a paisagem árida que se esperaria do sertão. São cerca de 20 minutos até o ponto de parada no píer que fica perto do cânion; por ali há uma área em que é permitido nadar, delimitada por uma rede que vai até 10 metros de profundidade. 

São os pequenos botes a remo para cinco ocupantes que levam os turistas a desbravar os corredores entre paredões rochosos que afunilam cada vez mais o percurso. A sensação é de pequenez e respeito diante dos entalhes feitos pela ação do tempo nas rochas metros acima. Bom seria ter um barquinho particular para poder parar ali no meio, deitar e deixar o olhar curtir o céu, os paredões e o silêncio. 

Mais para frente, a passagem se fecha. É hora de voltar. Dentro d’água, cercados pela rede, outros turistas esperam a vez de subir nos botes e conhecer esse belo canto do mundo. Mesmo para quem não quer entrar na água, o píer flutuante tem acomodações - mesa e bancos - para jogar conversa fora. Na volta a Canindé de São Francisco, pilotos de jet ski fazem manobras radicais nas águas do Rio São Francisco, que naquele ponto são calmas. 

Também é possível ver tudo isso do alto, de helicóptero. O sobrevoo inclui a hidrelétrica, permitindo ampla vista dos sistemas de geração de energia elétrica, além da região ao redor Custa R$ 150 o passeio rapidíssimo, com duração de 4 minutos, por sobre a barragem. Por R$ 250, o voo vai até Piranhas, já em Alagoas, e por R$ 500, o helicóptero leva até o Cânion do Xingó para uma observação do alto. O voos são operados pela MF Tur (79-3346-1184). A Top Tur (79-3179-5050) também faz passeios à região. 

Mais por lá
Na Serra do Chapéu de Couro, o Xingó Parque Hotel é uma boa opção de hospedagem na região para quem não quer fazer bate-volta. Diárias começam em R$ 278: xingoparquehotel.com.br. 

Canindé de São Francisco faz parte da chamada Rota do Cangaço, formada pelos lugares por onde passou o mítico bando de Lampião. Não muito longe, mas já em Alagoas, a Grota Angico é um dos principais pontos de visitação da rota. Compre o passeio nas agências locais.

Comentários

Quer conhecer a região de Xingó e se hospedar no melhor hotel?